cartas errantes

em construção...............

Bisavó jandira de cabelos roxos pulava 100 pulos de corda ás quartas feiras aos 80 anos de terra. após o banho de banheira de porcelana bem quente da rua xxxx no Pacaembu se chocava com um copo de agua bem gelada. Fumava cigarro e blefava pôquer muito bem e muito mal. Quase ao fim da vida deu all in em suas propriedades rurais do interior e então perdeu tudo.

Vovo Georges makhoul, sírio de origem e o melhor comerciante de tecido da 25, frequentava club homns com os carteados. O costume se extendia a sua casa, e até os tapetes de desenhos simétricos eram de estética das cartas.

Meu pai me ensinou jogar de tudo, meus amigos mais um pouco.  A intuição me mostrou o tarot , a mágica sempre me fez abelha e a sagacidade me faz campeã no truco.

Mas não se esqueça: sem sorte no jogo, feliz no amor

São errantes as cartas porque se assumem como profanagem da vida, que se libertam ao 50% da sorte e os outros restantes ao azar. É vexame e amor.

Cartas errantes desafloram intimidades gráficas. Referencias visuais intimas presentes no interno que aparecem na matéria como possibilidade de sorte e azar. O outro pode ser aliado ou adversário. Guardar carta boa pro final kkkkkkkk.